obra-embargada-em-2019-foi-reiniciada-na-semana-passada

A AMOR - Associação dos Moradores do Recreio dos Bandeirantes - foi procurada por uma moradora do Terreirão, comunidade dentro do Recreio, que pedia ajuda, pois uma construção de um edifício ao lado de sua casa, obra embargada em 2019, foi reiniciada na semana passada, provocando tremores e rachaduras em sua casa.

A AMOR procurou, então, a Subprefeitura da Barra, Recreio e Vargens, que orientou a moradora a começar com os registros na Defesa Civil (tel. 199) e na Prefeitura (tel 1746).

De posse dos protocolos da Defesa Civil e da Prefeitura, a AMOR os levou ao Subprefeito Raphael Lima, que acionou a Subsecretaria de Controle e Licenciamento Urbanístico (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Simplificação), bem como a Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil (Secretaria de Ordem Publica). 

A Defesa Civil Municipal e Coordenadoria de Licenciamento e Fiscalização (CLF) 4.1 - Barra vistoriaram a obra. A Defesa Civil Municipal emitiu o Boletim de Ocorrência nº 02831/2021, a CLF 4.1 voltou a embargar a obra por meio do Edital de Embargo/Notificação nº 24/0014/2021, que, além de embargar a continuação da obra, determinou sua legalização ou sua demolição.

Apesar do novo embargo, o(s) empreiteiro(s) voltaram a tocar a obra. A AMOR, então, procurou a 42ª DP, na pessoa do Delegado Titular Dr. Allan Luxardo, que fez o poder de polícia comparecer ao local e trazer todos à sua presença na Delegacia Policial, onde deixou claro que a obra não poderia prosseguir sem a liberação pelo órgão que a embargou, pois se continuasse seus responsáveis e executores estariam cometendo o crime de "desacato".

Na sequência, a TV Record gravou matéria jornalística, onde foram entrevistadas a moradora, sua vizinha, a Presidente da AMOR e o Dr Allan. Na reportagem foram mostrados o prédio, visivelmente inclinado, e vídeos terríveis da casa da moradora literalmente tremendo, como se estivesse em um terremoto, enquanto trabalhavam no edifício.

Todos nós ainda temos na lembrança as tristes imagens dos edifícios que desabaram na Muzema, e não queremos sua repetição no nosso bairro. Assim, agradecemos ao Subprefeito Raphael Lima, aos Engenheiros e Técnicos da Defesa Civil Municipal e da CLF 4.1, bem como ao Delegado Titular da 42ª DP Dr Allan Luxardo. Todas essas Autoridades intervieram de forma pronta e eficiente em favor do cumprimento da lei, e buscando a preservação do patrimônio das pessoas e das vidas humanas.